pesquisar

 
Domingo, 16 / 02 / 14

As enchentes do Araguaia - Um espetáculo da Natureza

27315701Enchente 1999

As duas enchentes mais recentes em Barra do Garças ocorreram em 2002, quando os quiosques e arena do Porto do Baé ficaram debaixo d’agua e o nível do rio chegou até o Bar do Caribe. A outra vez foi em 1999, o nível do rio passou dos 16 metros com o Araguaia praticamente ‘represando’ o córrego Voadeira, deixando a ponte que liga o centro ao BNH debaixo d’agua. Naquele ano, os moradores tiveram que dar a volta pelo córrego Lajedo passando pelo Jardim das Mangueiras.

barra-do-garça-depois-1-300x225Sem enchente

O morador Odecino Miranda, 68 anos, conta que a maior enchente que ele teve conhecimento aconteceu em 1942, antes mesmo da emancipação de Barra do Garças. Naquela ocasião, o rio Araguaia chegou até o terreno onde depois foi construída a paróquia Santo Antônio e a praça da Matriz.

27315691Enchente - 1999

IMG_2384 c+¦pia

Sem enchente

O espetáculo da natureza, por isso amamos este lugar.

Gazeta.20131025121712.YWdhe

publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 22:01
Domingo, 16 / 02 / 14

Resgate da cultura indígena no Berohokã

 Índia mestiça da Aldeia Meruri, Maria do Carmo Toledo, mostra miniaturas de Índios Kalapalo e Xavante. Ela morou na Ilha do Bananal, mora em Aragarças às margens do Berohokã - o grande Rio Araguaia - e com seu trabalho viajou pelo Brasil mostrando o que o índio produz e usa e, assim, mantém viva a cultura indígena Cuias de Coité para tomar água e instrumentos musicais como o maracá utilizado nas danças indígenas
 Foto histórica mostra índio Karajá da Ilha do Bananal na década de 50 Aruanã dos índios Karajá
Foto histórica mostra Xavantes há 50 anos preparado alimentos. "Como a alimentação muda o ser humano. Os índios Xavante tinham estatura de 2 metros de altura e, hoje, estão na faixa de 1,70 metro por causa da alimentação. Antes comiam muitas frutas, peixe, caça e hoje estão comendo muito pão, tomando refrigerante e continuam comendo carne", observa Maria do Carmo em foto exposta em sua loja Bêro Can em Aragarças Tela com criança Caiapó
 Tela com criança CaiapóOutra foto histórica mostra índio Xavante na década de 50 conduzindo cesto na cabeça
 Maria do Carmo: "O artesanato indígena feito dentro de uma aldeia tem uma alma. Quando é feito fora da aldeia fica mestiço como eu"
Reprodução de tela mostrando índio CaiapóBrincos com penas de aves
Cesto para carregar alimentos ou objetosColares confeccionados utilizando sementes
Índio Caiapó em tela de um artista plástico do sul da BahiaMaria do Carmo: "Na nossa passagem por este planeta, curumim, temos de deixar nossas pegadas"
Tartaruga confeccionada a partir de cabaças: artesanato local de AragarçasMáscaras do kuarup do Xingu e cestarias Karajá
Artesanato mostra o Aruanã dos índios KarajáResina aromatizante
Rio Araguaia em Aragarças, Goiás. O quintal de Maria do Carmo sai na Praia Quarto Crescente. Do outro lado do rio é Barra do Garças, no Mato GrossoEntrevista concedida em cima do banco xinguano com as cerâmicas dos índios Wuará ao fundo
Tela pintada por Maria do Carmo: índio xinguanoMáscaras indígenas utilizadas no Kuarup no Xingu
"Saí da aldeia com 14 anos, casei com 17 anos e fui embora. Quando retornei achei que meu povo estava perdendo a cultura. Estavam se envolvendo com álcool, as meninas muito cedo já eram mães - meninas com 18 anos já tinha três ou quatro filhos. Eu quis ajudar eles de alguma maneira"O turista em Aragarças encontra artesanato indígena
Artesanato local: pescador com vara de anzol em Aragarças ou Barra do GarçasMaria do Carmo em sua loja
 Maria do Carmo em banco esculpido por índios do Xingu. Detalhe: um animal com duas cabeças.Maria do Carmo e Yuara Crescencio em Aragarças
 
"Como eu não era funcionária da Funai, montei uma loja para mostrar a cultura deles criando uma ponte em Barra do Garças, Aragarças, entre o índio do Acre, Rondônia, São Félix do Araguaia, Xingu e de Brasília. Mas para manter essa ponte funcionando pensei no custo que ia ter e na terra de índio não se vende coisa de índio. Então fui obrigada a sair para fora, fazer exposições por todo o Brasil levando o índio para mostrar que realmente era do índio"
Colar confeccionado por índios com "pedras" retiradas da cabeça do peixe curvina. Cada peixe tem duas "pedrinhas" dessas na cabeça
Banco xinguano, peça única na lojaCoités, cestos e maracás
Artesanato: ET. Em Barra do Garças em cima da Serra Azul há um discoporto e há quem diz que já viu Ovinis no localUm dos colares dos índios xavantes é feito com sementes do capim navalha
Maria do Carmo no seu quintal na beira do Rio AraguaiaOutro ângulo da loja
Banco esculpido por índios do XinguCuias e o maracá de coite utilizado durante as danças indígenas
Cerâmica dos índios Waurá do Xingu: peças utilitárias. Cerâmica para uso no dia-a-diaCerâmica dos índios Karajá que mostra mais a pintura corporal
Puçá é um tipo de rede indígena utilizada pelos índios para pescar
Veja também vídeo que mostra o trabalho da índia mestiça do BerohokãA Cultura Indígena Extrapola Fronteiras
 
Índios do Brasil
Artigo: Jornalista Wagner Oliveira
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 21:02
Domingo, 16 / 02 / 14

Aragarças

publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 20:48
Domingo, 16 / 02 / 14

RALLY DO VARJÃO 2014- PREVIEW

http://www.youtube.com/watch?v=2ogYCSC2ySQ
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 20:32
Domingo, 16 / 02 / 14

Primeiro sequestro aéreo no Mundo

Aragarças / Goiás
constelation-panairCompletou 50 anos do primeiro sequestro aéreo da humanidade, que aconteceu no município de Aragarças (GO), na divisa com Barra do Garças, no Vale do Araguaia. Um grupo de cinco oficiais da Aeronáutica articulou o sequestro de um avião comercial com 40 passageiros para auxiliar no que ficou conhecido como “Revolta Veloso”, um movimento de insubordinação comandado pelo major Haroldo Coimbra Veloso, que montou base no aeroporto de Aragarças.A intenção era montar uma resistência ao governo do presidente Juscelino Kubitschek, conforme conta o livro do historiador Claudemiro Souza Luz que foi lançado em novembro para comemorar essa data histórica.“Eu considero esse fato um dos mais importantes de Aragarças”, destaca ele. O sequestro começou às oito e meia da manhã do dia 2 de dezembro de 1959, quando o major Eder Teixeira Pinto rendeu os pilotos e sequestrou o avião quadrimotor Constellation, da empresa Paner [sic] do Brasil, que fazia rota do Rio de Janeiro para Belém (PA). O avião foi desviado até o aeroporto de Aragarças, onde o comandante da rebelião, major Veloso, aguardava com mais quatro oficiais da Aeronáutica e com dois aviões C-47 da FAB que estavam sendo utilizados no movimento.A comunicação era lenta naquela época, mas logo o governo foi informado do levante e o ministro da Guerra na época, Henrique Teixeira Lott, determinou a invasão do aeroporto para prender os militares revoltosos. Segundo Claudemiro, isso aconteceu logo no terceiro dia do sequestro. Um grupo de pára-quedistas do Exército chegou de surpresa no aeroporto e bombardeou um dos aviões, e assim os revoltosos tiveram que se entregar.Major Veloso e outros oficiais foram presos e depois anistiados pelo governo federal, com Veloso se mudando para o estado do Pará, onde se elegeu deputado federal e faleceu aos 49 anos. “Eu acredito que a revolta fracassou porque houve pouca adesão dos militares na época, provavelmente porque ficaram com medo da reação do governo”, explica o escritor.O tema tornou-se indispensável na história do Araguaia e foi lembrado recentemente na minissérie da TV Globo “JK”, que contava a história de Kubitschek. Escritores como Valdon Varjão, Murilo Melo Filho, Mário Miguez e Zélia Diniz já escreveram sobre esse assunto.Claudemiro lembra que tinha 19 anos naquela época e como qualquer outro morador da cidade passou a maior parte do tempo rodeando o aeroporto para acompanhar, mesmo que à distância, tudo que acontecia no aeroporto.Claudemiro explica que o avião sequestrado era o maior visto na região e quando desceu na pista estreita de Aragarças todo mundo ficou assustado. Os passageiros foram retirados e conduzidos ao Grande Hotel, construído para a Fundação Brasil Central, enquanto os militares esperavam mais reforços de Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo que acabaram não vindo e frustrando a tentativa de golpe.O escritor aragarcense insiste nesta tese porque nas eleições de 46 e 50 a cúpula da Aeronáutica perdeu as eleições para o brigadeiro Eduardo Gomes e de certa forma não se conformava porque o Exército já tinha tido um presidente.FONTE. Olhar DiretoNOTA: A foto acima é do Constellation que está preservado no Museu Asas de um Sonho da TAM. Ele foi restaurado com as cores da Panair.
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 19:57
Domingo, 16 / 02 / 14

Mistérios do Araguaia - Barra do Garças e sua História


A criação do município de Barra do Garças veio a ser uma encampação do município de Araguaiana, ou seja, uma mudança de sede de Araguaiana para Barra do Garças, passando Araguaiana à distrito de Barra do Garças.bg.galeria9.20130712152051.001As primeira notícias acerca da região se deram por conta das lendárias Minas dos Martírios, no século XVII. Neste período o imenso quadrilátero barra-garcense era habitado de cima abaixo por povos indígenas das nações boróro e xavante. A região teve efetivo início povoador com a navegação do Rio Araguaia, ao tempo da guerra do Paraguai, quando o presidente da Província, Couto de Magalhães, viu a necessidade de ligação entre as bacias hidrográficas do Prata e Tocantins, unindo o sul ao norte, pelo centro. Iniciou-se então a navegação do rio Araguaia. Couto de Magalhães mandou transportar em carros-de-boi três navios, desmontados para viagem – do Rio Cuiabá até o Porto de Itacaiú, onde seriam montados.Foram criados presídios, que serviam também de posto de registro: Ínsua, Passa Vinte e Macedina. O presídio de Ínsua foi transferido para as margens do Rio Araguaia, em lugar denominado Porto Grande, que ficou cognominado Registro do Araguaia. Nas andanças entre presídios, os militares faziam postos na foz do Rio das Garças. O local de referência era assinalado por uma pedra, a pedra da Barra Cuiabana, a primeira denominação de Barra do Garças. Em Barra Cuiabana viviam José Pedro, o filho Vicente e outras pessoas, exatamente em frente à Barra Goiana, hoje Aragarças.A pedra da Barra Cuiabana tinha uma lenda. Dizem que Simão da Silva Arraya enterrou um recipiente (talvez uma garrafa) contendo diamante nas proximidades da grande pedra. Arraya marcou a pedra com os dizeres “S. S. Arraya – 1871”. Para José Pedro, a inscrição foi esculpida por uma caravana desmobilizada em retorno da Guerra, liderada por Simão Arraya, somente para marcar a passagem pelo lugar. Na versão de Raul José de Mello, antigo coletor de rendas de registro do Araguaia a história é outra: “...em 1871, o pai de Marcos Afonso (um dos herdeiros) e mais Simão da Silva Arraya e dois ex-combatentes de guerra encontraram enorme quantidade de diamantes.arq_11Na época a comercialização era difícil, e sabedores do valor do achado começaram a guarda-lo uma garrafa. De certa feita foram atacados por índios boróros. Antes de fugirem enterraram a garrafa e mais tarde marcaram a pedra.” A verdade é que ninguém encontrou a tal garrafa, e se foi achada, não foi divulgado – daí ser lenda. Em 1897, Antônio Cândido de Carvalho encontrou diamantes no Rio das Garças. A notícia trouxe muita gente à região, aumentando o contingente populacional araguaiano. Neste período a economia regional dividia-se entre a garimpagem e a extração de látex da mangabeira, que proliferava no cerrado.Sua população foi formada por pessoas vindas de vários estados brasileiros, incentivados pelo desdobramento do Oeste em busca do ouro e do diamante. Região desbravada pelo Marechal Rondon, na metade do século passado e efetivado pelos sertanistas irmãos Villas Boas, que abrindo picadas (com a Fundação Brasil Central), fez nascer no seu rastro várias cidades.O tempo passou, as pessoas foram chegando, e fizeram nascer esta maravilhosa cidade, à margem esquerda do Rio Araguaia, que delimita as fronteiras de Mato Grosso e Goiás. A região urbana conhecida como grande Barra é formada além de Barra do Garças, por Pontal do Araguaia (MT) e Aragarças (GO).Hoje Barra desponta com um futuro pólo de Saúde, Educacional, Comercial, Político e Turístico de Mato Grosso, pois qualidade é que não lhe faltam: Serras com dezenas de Cachoeiras, Praias, Rios, Águas Termais, além de uma série de atividades especialmente desenvolvida para proporcionar ao turista uma excelente estadia por aqui.
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 19:49
Domingo, 16 / 02 / 14

Rascunho criado em 16 de February de 2014 às 17:05

Rascunho criado em 16 de February de 2014 às 17:05
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 17:05
Domingo, 16 / 02 / 14

Temperei minha lucidez com oito pitadas de loucura

Perguntais-me como me tornei louco.Aconteceu assim:Um dia, muito tempo antes de muitos deuses terem nascido, despertei de um sono profundo e notei que todas as minhas máscaras ...tinham sido roubadas – as sete máscaras que eu havia confeccionado e usado em sete vidas – e corri sem máscara pelas ruas cheias de gente gritando: “Ladrões, ladrões, malditos ladrões!”Homens e mulheres riram de mim e alguns correram para casa, com medo de mim. E quando cheguei à praça do mercado, um garoto trepado no telhado de uma casa gritou: “É um louco!”Olhei para cima, para vê-lo. O sol beijou pela primeira vez minha face nua. Pela primeira vez, o sol beijava minha face nua, e minha alma inflamou-se de amor pelo sol, e não desejei mais minhas máscaras. E, como num transe, gritei: “Benditos, benditos os ladrões que roubaram minhas máscaras!”Assim me tornei louco. E encontrei tanto liberdade como segurança em minha loucura: a liberdade da solidão e a segurança de não ser compreendido, pois aquele que nos compreende escraviza alguma coisa em nós. (Gibran)Por Misael Luiz Inácio
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 13:23
Domingo, 16 / 02 / 14

II Congresso de Ufologia e Parapsicologia do Vale do Araguaia

A contribuição da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP) foi criteriosa ao selecionar um grupo de palestrantes altamente qualificados, de várias partes do Brasil e exterior, para demonstrarem décadas de pesquisas a serem apresentadas no “II Congresso de Ufologia e Parapsicologia do Vale do Araguaia” – Barra do Garças/MT, do dia 30 de abril a 04 de maio de 2014. São todos respeitados e ativos pesquisadores sobre a temática Ufologia e/ou Parapsicologia, com anos de pesquisas cautelosas e cada qual com uma grade curricular excepcional.
Estudiosos de renome nacional e internacional, especialistas nos mistérios da mente humana e nos enigmas do universo, reúnem-se por 5 dias com pesquisadores e buscadores, num evento único, num lugar especial: Barra do Garças, o berço da enigmática Serra do Roncador e de conhecimentos milenares. Conheçam os palestrantes nacionais que confirmaram presença:Ademar José Gevaerd (PR) – criador e editor da Revista UFO, uma publicação genuinamente brasileira e a mais antiga publicação do gênero da historia mundial. É o mais respeitado pesquisador, a maior autoridade e referencia mundial sobre o assunto ufologia. Criou as extintas revistas: Ufologia Nacional e Internacional (1985 à 1986), Parapsicologia Hoje (1985 à 1986), PSI-UFO (1986 à 1987), Esotera (2001 à 2002), entre outras. Foi responsável pelo Grupo Editorial Paracientífico (GEP) que alicerçou inúmeras publicações temáticas. É presidente do Centro Brasileiro de Pesquisas de Discos Voadores (CBPDV), diretor da Mutual UFO Network (MUFON). Idealizador da campanha “UFOs: Liberdade de Informação Já”. Coordenou os trabalhos da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU) para demandar junto à Força Aérea Brasileira (FAB) que abra seus arquivos secretos e admita a participação civil no processo de investigação do Fenômeno UFO em nosso país, dedicação que tem dado resultados. Gevaerd tem participação ativa praticamente em todos os círculos mundiais onde o tema fenômeno UFO é tratado com seriedade e é presença constante em documentários do History Channel, Discovery Channel e outros.Ataide Ferreira da Silva Neto (MT) – psicólogo, escritor, conferencista, estudioso sobre as estranhezas e “incógnitas” da Mente Humana, ênfase nos mistérios do psiquismo/parapsicologia, sócio fundador e presidente da Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Psíquicas (AMPUP) oriunda da antiga Associação Mato-grossense de Pesquisas Ufológicas e Parapsicológicas, criada em 1996, sendo esta associação sem fins lucrativos destinados a pesquisas sobre os “mistérios” da mente humana e os “enigmas” do universo. Conhecedor das casuísticas ufológicas e parapsicológicas do estado mato-grossense, pesquisador da influência da Ufologia no contexto psicológico humano dirigindo seus estudos para as áreas do psiquismo, é consultor da Revista UFO. Autor de diversos artigos em revistas e jornais com temas relacionados à psique humana, parapsicologia e ufologia, entre elas: “Os Mistérios da Mente Humana” (Revista ACTImídia, n.º 27, 2007) “Mistérios da Serra do Roncador” (Revista UFO, n.º 102, 2004), “A influencia da Ufologia no Psiquismo” (Revista UFO, n.º 120, 2006; e na Revista SINA, n.º 07, 2007), “Seriam apenas Mitos e Lendas?” (Revista UFO, n.º 207, 2014), entre outras diversas matérias do gênero. É o idealizador desde a primeira edição do “Congresso de Ufologia e Parapsicologia do Vale do Araguaia” em Barra do Garças/MT, sempre com o alicerce da organização local. Realiza conferências nacionais em assuntos relacionados à Psicologia, Estranhezas Psíquicas, Psicologia Organizacional, Atendimento, Motivação, Neurolingüística, Parapsicologia e assuntos congêneres. Participou como conferencista de inúmeros congressos brasileiros. Autor do Livro “Nas Profundezas do Psiquismo: segredos ocultos de você mesmo” [Editora KCM].Francisco Donizetti Varanda (SP) – professor de história e sociologia, formado em Técnicas Agronômicas, Ciências Sociais e Jurídicas, Especializado em atividades de Aerolevatamentos, Advogado Ambiental, Mestre em Direito Ambiental e Direitos Fundamentais. Diretor do Centro de Pesquisas da Ufologia Científica (CPUC) com sede em São João de Boa Vista/SP. Idealizador de oito simpósios nacionais de Ufologia e dois congressos de pesquisadores de campo na área da Ufologia, todos realizados no estado de São Paulo. Ativo pesquisador, realizou extensas pesquisas na área da metafísica, atualmente dedica-se exclusivamente à Pesquisas de Campo na área Ufo-arqueológica (pinturas rupestres, geoglifos, inscrições parietais, etc.), já esteve em vários estados brasileiros na busca de evidencias rupestres que possa insinuar o fenômeno UFO. Foi citado em inúmeras matérias em revistas e jornais com a temática ufologia, pioneiro pesquisador ufológico envolvendo acontecimentos inusitados na Serra da Mantiqueira (uma cadeia montanhosa que se estende por três estados do Brasil: São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro). Foi autor da monografia denominada “Maivotsinim: O Contato Imediato Tribal” – 1996 (Edição Independente).Gener Silva (SP) – Bacharel em Direito, Advogado, diploma de Honra ao Mérito – OAB/SP – Excelência de serviços prestados – 20 anos de assistência jurídica. Pedagogo, especialista em Educação, Comerciante, Presidente do Sindicato de Comércio de Araçatuba/SP, Vice-Presidente da Federação do Comércio do Estado de São Paulo – FECOMÉRCIO, membro do Conselho do Comércio Varejista de São Paulo e do Conselho de Administração da Fecomercio de São Paulo. Conselheiro Especial da Revista UFO, Diretor Fundador do INAPE – Instituto de Astronomia e Pesquisas Espaciais (ONG) – Araçatuba/SP. Membro da Comissão Brasileira de Ufólogos – CBU, um dos protagonistas convidados representando a CBU para o encontro Histórico em Brasília com altas patentes do Ministério da Defesa (com a presença das Três Armas: Aeronáutica, Marinha e Exército) para discutir a liberação de documentos oficiais brasileiros sobre OVNI´s. Pesquisador da Ufologia a mais de 30 anos e estudioso divulgador da Astronomia e Astronáutica, prestando serviço á comunidade através de palestras, cursos e demonstrações públicas voluntárias. Idealizador e coordenador da requisitada série de Eventos COSMOS: encontro responsável em retratar assuntos da Astronomia e Ufologia, uma série que teve ilustres pesquisadores como Ronaldo Rogério de Freitas Mourão e o astronauta brasileiro Marcos Pontes, entre outros, incluindo (no mesmo Evento) inúmeros famosos nomes da Ufologia. A idealização do COSMOS é a mais antiga série brasileira sobre o tema Ufologia e Astronomia - está na sua décima quarta montagem. É autor de diversos artigos e pesquisou inúmeros casos ufológicos. Participou como palestrante de inúmeros eventos nacionais e internacionais sobre Ufologia e também abrangendo assuntos da Parapsicologia.Gilda Moura (RJ) – psicóloga clínica, hipnóloga, pesquisadora da parapsicologia, conferencista e escritora, profissional atuante da cidade de Rio de Janeiro, com muitos anos de estudos de fenômenos anomalos, especialmente abdução. Foi Co-diretora da Fundação Kairos, da Universidade de Illinois em Chicago, somando um estudo de seis anos sobre Estados Alterados da Consciência e Mapeamento Cerebral, pesquisando quatro grupos no Brasil. Foi conferencista no “Abduction Study Conference” no M.I.T, Ma, USA em 1996. Autora dos livros: Transformadores de Consciência: UFO contato alienígena [Editora do Conhecimento], Rio Subterrâneo [Record e Editora do Conhecimento] e O Segredo de Velázquez [Editora Jaguatirica Digital]. É consultora científica da revista Cons-ciência do CTEC, da Universidade Fernando Pessoa, no Porto. É Consultora Científica, membro fundador e atuou como vice-presidente da IMAGINAL (Associação Portuguesa de Hipnose Clínica Experimental) e da Alubrat Portuguesa e membro da Diretoria da Academy of Close Encounters Therapist - ACCET – USA, e da APO – Associação de Pesquisa OVNI, Portugal. Inajar Antonio Kurowski (PR) – médico veterinário, pós-graduação em metodologia da ciência, mestrado em gestão ambiental, perito criminal da polícia científica do Paraná, professor universitário, pesquisador da ufologia, especialista em exames de fotos e filmes de disco voador, coordenador do grupo de análises de imagens ufológicas da Revista UFO, da qual é conselheiro especial, membro da Comissão Brasileira de Ufólogos (CBU). Profundo conhecedor sobre fotos verdadeiras e falsas no âmbito do fenômeno UFO, habilidoso nas técnicas e equipamentos para captura de imagens ufológicas, estudioso da ufo-arqueologia e ultimamente têm-se dedicado nas analises científicas sobre os agroglifos (enormes e complexos desenhos feitos de forma desconhecida, quase sempre encontrados em plantações), com pesquisa “in loco” na região brasileira onde os agroglifos acontecem, atestando com laudo técnico a autenticidade do fenômeno brasileiro ocorrido em Ipuaçu/RS – no início do mês de novembro de 2013. Leonardo Breno Martins (MG) – Psicólogo formado pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Doutorando e Mestre em Psicologia Social pela Universidade de São Paulo (USP) e membro do Laboratório de Psicologia Anomalística e Processos Psicossociais (Inter Psi), também da USP. Especializado no estudo científico/acadêmico de experiências anômalas/parapsicológicas. Responsável pela produção de dissertação de Mestrado correlacionando Ufologia e Psicologia, partindo da hipótese de que supostos contatados e abduzidos são pessoas perfeitamente normais, sem nenhum distúrbio aparente, contrariando os críticos e os céticos. É palestrante e autor de diversos artigos científicos sobre esses temas no Brasil e no exterior, tem também experiência em psicoterapia, saúde mental, psicologia social e psicologia da religião.Dr.ª Monica Borine (SP) – Psicóloga Clínica desde 1989, Doutorada em Psicologia da Saúde em Avaliação Psicológica na Saúde Mental (Psicopatologias) e Mestrado em Psicologia da Saúde em Neuropsicofisiologia da Consciência, Cognição e Emoção pelo Instituto de Psiquiatria e neurologia da USP/UMESP. Pós graduações em Psicologia da Consciência, Psicologia Transpessoal (INIC-Instituto Integral da Consciência), Psicoenergética da Consciência e Psicologia Energética Corporal (New York Institute Core Energetics) Pedagoga e Educadora desde 1982. Orgonomista, trainner-trainning em Análise Bioenergética e PLN. Hipnóloga clínica desde 1980 pelo Centro Oswaldo Cruz – USP/SP. Yogaterapia e Psicologia Tibetana com formação em Rishikesh, Índia. Estudiosa dos fenômenos anômalos com OVNIS e contatados à mais de 30 anos com ênfase na prática clínica e com grupos, levando seus estudos para as áreas acadêmicas da Psicologia e da Consciência. Fundou o GEUFO em 1989 (Grupo de Estudos Ufológicos de São Bernardo campo/SP e o OMEGA Instituto de fenômenos anômalos em 2002. Membro da ASSC (Association for the Scientific Study of Consciousness). Criou em 2003 a pioneira especialização no Brasil para terapeutas no tratamento de abduzidos (vide revista UFO 88). Participou de diversos programas de TV como convidada, entre eles do Jô Soares (Rede Globo, 2004) levando o tema: Abduções e Síndrome do Pânico; na TV à cabo de Lisboa: Hipnose clínica em contatados e abduzidos, (Programa do Além, na TV portuguesa que foi ao ar diariamente, 1998). Diretora do INIC e do ICEB Institutos de ensino de extensão universitária. Autora de artigos científicos como: O Fenômeno OVNIS, síndrome da abdução e a expansão da consciência; Consciência e desenvolvimento humano: OVNIS e abduções, fenômenos anômalos afetando e alterando a consciência (Anais da Fundação Ocidente, BA, 2006); Síndrome da abdução e o psicológico (Revista Isto É gente, SP, 2005); Síndrome da abdução: Um alerta aos profissionais da Saúde: (Anais do I Fórum Mundial de Ufologia, Brasília DF, 1997); Wilhelm Reich, orgonomia e os OVNIS: contato com o espaço (Anais do I Congresso Internacional W. Reich, SP, 2010); Hipnose Clínica em casos de avistamentos de OVNIS e possíveis contatos com "alienígenas" (II Congresso Projeto Evolução para a Vida, SP, 1996); Hipnose clínica em pessoas que se dizem abduzidas por OVNIS (curso pós congresso, Além e Aquém do cérebro, Bial, Lisboa, 1998); Consciência, emoção e cognição: os efeitos do priming afetivo subliminar na atenção (Revista científica da UFRJ, 2005); Como as emoções influenciam a nossa vida (Revista científica UMESP, 2006); Psicologia da Consciência (QualityMark, RJ, 2007). Autora dos livros: Core Energetics Psicoterapia Energética Corporal (Allprint, 2006); Reflexões em Psicologia da Consciência (C. dos autores, 2005); W. Reich & J. Pierrakos: orgonomia e terapia evolutiva (Spiro, SP, 2010); "Verdades que só eu sei: diário de uma abduzida por UFOS" (lançamento).Thiago Luiz Ticchetti (DF) – Administrador de empresas, escritor, co-editor, tradutor e responsável por inúmeras publicações na Revista UFO desde 1997. É consultor e coordenador internacional da referida publicação, responsável pela coluna mensal “Mundo Ufológico”. Foi, ainda jovem, autor do livro: Quedas de UFOS – Casos confirmados de acidentes com Disco Voadores e resgates de seus tripulantes em todo mundo [Editora CBPDV]; recentemente concluiu o livro Arquivos UFO – Casos Ufológicos [produção independente]. É filho de oficial aviador da aeronáutica e pegou gosto pela ufologia desde a infância através do incentivo familiar, em especial, o pai. Foi membro e vice-presidente da Entidade Brasileira de Estudos Extraterrestres (EBE – ET), com sede em Brasília/DF. Foi o primeiro e único pesquisador brasileiro a ter artigos publicados pela revista inglesa UFO Matrix; além de ser o pioneiro na publicação na revista inglesa UFO Truth Magazine de um artigo ufológico que relata os contatos de pilotos da Força Aérea Brasileira com UFOs.Wagner d’Eloy Borges (SP) – pesquisador espiritualista, estudioso de assuntos ao rol da parapsicologia, professor, conferencista, radialista – apresentador do programa “Viagem Espiritual” (Rádio Mundial/SP – 95,7 FM), projetor extrafísico, escritor, autor de onze livros dentro da temática projetiva e espiritual, consultor da Revista UFO e colaborador de várias outras revistas como: Sexto Sentido, Espiritismo e Ciência, Revista Cristã de Espiritismo, Caminho Espiritual, Jornal O Legado. Wagner Borges é fundador do Instituto de Pesquisas Projeciológicas e Bioenergéticas (IPPB) e já publicou inúmeros livros de interesse filosófico e reflexivo, entre eles: Viagem Espiritual (Vol. 1 à 3 – Editora Zennex / Editora Universalista), Uma Lição Extraterrestre (Editora Madras), Falando de Vida Após a Morte (Editora Luz da Serra), Falando de Espiritualidade (Editora Pensamento), Ensinamentos Extrafísicos e Projetivos (Editora Madras), entre outros. Foi ex-colaborador do Professor Waldo Vieira no extinto Centro da Consciência Contínua e na confecção da primeira edição do tratado Projeciologia: panorama das experiências fora do corpo, de 1986.pela: Associação Matogrossense de Pesquisa Ufológicas e Psíquicas

 

  
publicado por 100porcentoloucospeloaraguaia às 12:35

mais sobre mim

Fevereiro 2014

D
S
T
Q
Q
S
S
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
27
28

últ. comentários

  • Noss... Muito Obrigado, Ficamos muito feliz com o ...
  • POXA, BEM LEGAL... ESTOU NA EXPECTATIVA DE PARTICI...
  • This is a sample comment used by Thank Me Later. I...
  • Para melhor esclarecimento, essa enchente acontece...
  • Venha,m para o Araguaia, a região mais bonita do B...
  • Um evento que acredito tenha vindo para ficar. Ele...

mais comentados

arquivos

subscrever feeds

blogs SAPO


Universidade de Aveiro